Letters to my Children

Oinc.

Filho,
Seu pai parou pra comprar água, papinha pra Giulia e outras coisas que já nem me lembro. Você ficou impaciente como sempre fica quando o carro para. Afinal, quem gosta de ficar parado dentro de um carro num estacionamento de supermercado, preso na cadeirinha de segurança?

Então eu cantei. Pra te divertir. Sem me importar se meu inglês era ridículo. Se minha pronuncia era vergonhosa. Se minha voz era de taquara rachada. Eu cantei. Aquela música dos animais dentro do ônibus. E na parte do porco, na parte em que eu fiz “oinc oinc oinc”, você me deu esse sorriso.

Sorriso que fez desaparecer minha raiva de não falar um inglês perfeito. Sorriso que engoliu toda minha falta de ritmo, meu desafinamento, minha timidez.

E então eu repeti o refrão. E oinc e oinc e oinc. E seu sorriso , que foi aumentando, virou uma risada. Um carinho na alma. Uma memória inesquecível.

Você é o mais doce pedaço que mora no meu coração, meu filho amado. E oinc e oinc e oinc.

next post
Bedroom Tour
error: Content is protected !!